fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Como Felipe Neto se tornou o maior censurador do Brasil.

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Felipe Neto fazia piadas de gordos, zoava gays, feministas, etc., mas aí descobriu o “pink Money”. Aí virou o super lacrador defensor de “minorias” (todas as que parecem na sua frente) que vemos hoje. Passa o dia no Twitter iniciando campanhas de boicote a sites, blogs e canaiis de direita, o que ele chama – e incita seus seguidores a chamar – de “disseminadores de ódio e de fake news.”
Está sendo tão bem sucedido que muitos já o consideram um membro velado do Sleeping Giants, uma ONG internacional que fiscaliza todo site ou canal de direita, e envia aos anunciantes que aparecem, espontaneamente ou pelo Google Ads, mensagem com o conselho: “é melhor não anunciar aí ou vamos pedir o povo pra lhes boicotar.”
Se você ainda não conhece, assista esse vídeo de Eduardo Bolsonaro:

A vítima mais recente é o jornalista Bernardo P. Kustler, que teve todos os seus vídeos desmonetizados do YouTube, suas páginas de doação de fãs simplesmente bloqueadas, etc..

Assista o vídeo e entenda como ele e os ‘youtuber’ que apóiam o presidente estão sendo sumariamente eliminados da Internet.

Vídeos com temática pedófila?
É do que o acusam muitos, todos estão sendo processados.
Veja a postagem do site Live News:

“Felipe começou no Youtube há anos quase ao mesmo tempo do lançamento da plataforma, mas, antes, seu público era voltado realmente a assunto mais sérios e adultos. Depois de um tempo, ele mudou sua visão e começou a focar nos jovens, produzindo mais conteúdo neste sentido. Felipe também é conhecido e criticado na internet por seus posicionamentos políticos, seja através de seus vídeos, ou de suas redes sociais.

Felipe chegou até a gravar um vídeo cobrando posicionamento de artistas e influenciadores a respeito de atitudes políticas envolvendo o coronavírus. Contudo, tal atitude não agradou a muitos e gerou reações.

Todavia, esses não foram os únicos problemas que assolaram os irmãos, uma vez que ambos foram chamados de pedófilos. As acusações principais partiram de Antonia Fontenelle, e Helio Lopes, deputado federal.

Ambos divulgaram um vídeo compilado de montagens com os irmãos neto, incluindo frases como “pedofilia não tem graça” e “todos contra a erotização de crianças e adolescentes”.

Luccas Neto gravou um vídeo de cerca 16 minutos rebatendo as acusações e colocando os vídeos em contexto, Felipe usou suas redes sociais para negar os fatos e abriu processo contra ambos pelas acusações. Fontenelle já foi processada inclusive, no pedido dos youtubers, há R$200 mil em indenizações.”

Entenda a fonte dessa treta.

Nesse próximo vídeo você vai tomar asco de Felipe Neto.

Rogério Betin foi uma das primeiras pessoas a processar e ganhar uma ação contra os irmãos Neto. Assistam e tirem as suas conclusões.

Se depois desse vídeo você continuar seguindo e admirando Felipe Neto, procure ajuda profissional.

Felipe Neto declara abertamente pelo Twitter que vai processar qualquer um que postar “fake news” contra ele, O problema é que ninguém sabe definir o que é “fake news”, você sabe?
Ele segue à risca a hipocrisia da esquerda: quando é ele quem acusa é liberdade de expressão, quando é acusado é “fake news” e ‘vai processar’.

Uma prova disso é esse twite.

Você tem dúvidas de que se fosse o contrário ele iria processar? Pois é.

Ofender é com ele mesmo, mas pra seu azar nem todo mundo tem a paciência de Bolsonaro. Depois de perseguir diariamente o ex-ministro da Educação, ele finalmente recebe uma resposta:

Os seus seguidores o apoiaram como bons gados devem fazer. Quer receber uma enxurrada de ódio gratuito? É só ir contra o Felipe Neto.

Todo homem que diz que tem que prender ministros do STF é, além de imbecil, um criminoso.— rhp-rj ♥️♥️ ? (@rhprj) May 23, 2020

Eu te amo Felipe Neto, você é a esperança do país!!

Felipe..? Pra onde está me levando?
Por que estamos indo no banheiro?

Felipe Neto..? Por que está tirando minhas roupas?

O que você está faz.. aaahh
Pare.. Felipe.. por favor..

AAAaaaaah..
Agora estou todo melado de sensatez— Nilᶠᵒʳyoυ (@Nildsoff15) May 23, 2020

O público LGBT o apóia em massa desde que ele mudou de postura pra ganhar o dinheiro fácil da causa dos fanáticos, o famoso “pink money”.

A campanha PAIS CONTRA FELIPE NETO.

Felipe Neto era o que eles chamam de “homofóbico”, eles esquecem rápido.

Entre seus alvos, estavam “gente colorida“, como se referia aos músicos da banda Restart, ou Crepúsculo, “o livro que mais causou estrago na juventude mundial”, como Neto dizia.”

Fonte: Estadão.

Veja um dos vídeos que coloquei no ls links acima:

Outro de seus vídeos que viralizou foi o que satirizava a série Vida de Garoto, protagonizada por ‘colírios’ da revista Capricho, à época.

O problemão de Felipe é que ele, apesar de pagar advogados caríssimos, vem perdendo suas pelejas na justiça, o motivo? Não consegue provar que as acusações são mentirosas.
Veja alguns exemplos.

Entenda a treta.

Fonte: Gazeta Digital
“Felipe Neto explica que o parlamentar insinuou que ele e o irmão, Luccas Neto, estariam envolvidos com crimes de pedofilia. “Será processado o Deputado Helio Lopes, popularmente chamado de “Helio Negão” pelo Bolsonaro, por associar publicamente a minha imagem e a de Luccas Neto ao crime de pedofilia. Terá a chance de provar na justiça que temos qualquer envolvimento com isso, na cível e criminal”, escreveu Felipe.

Um dia antes, ele já havia anunciado que entraria na Justiça contra outras pessoas que fizeram o mesmo tipo de acusação. “Essas fake news já foram longe demais. O cara faz uma publicação afirmando e me acusando de praticar pedofilia no meu canal. Ele será processado. Depois que ele percebeu que era notícia falsa, ele apagou a postagem, mas o print é eterno”, diz ele, falando que vários de seus vídeos estão sendo tirados de contexto para prejudicá-lo.”

Outras tretas…

Seus fãs pediram pra ele processar o vendedor de churros. Ele twittou que não processaria um vendedor de churros. Mais sensato que seus seguidores nessa aí.

A história da carreira de Felipe Neto.


Fonte: Estadão.

Felipe Neto começou sua carreira criticando gays, lésbicas e gordos, como já dito acima, seu público foco era adulto. mas com o tempo percebeu que crianças geram mais dinheiro, visto os resultados do canal do seu irmão. As crianças compram. Depois percebeu que pessoas normais não “compram pra ajudar uma causa”, pois pessoas comuns não se interessam por política e sim com suas carreiras e suas famílias, aí mudou radicalmente seu público para os lacradores, estes só pensam em política, doam pra campanhas que tenham uma “causa nobre” na capa e boicotam quem seus líderes políticos e ídolos que seguem a ideologia mandam.

Carreira do Felipe Neto – fonte: Estadão. Ele tem chamado atenção recentemente por conta de atitudes e posicionamentos como a distribuição de 14 mil livros com temática LGBT durante a Bienal do Livro do Rio de Janeiro  (7).

Além de ser um youtuber ‘veterano‘ – seu primeiro vídeo foi postado na plataforma em 19 de abril de 2010 – que usa cabelos coloridos com frequência, Felipe Neto também é conhecido por seu trabalho como empresário e por ser um dos principais influenciadores do País.

Felipe Neto é conhecido por ter tomado diversos posicionamentos em variados assuntos ao longo de sua carreira. “Hoje, minhas maiores lutas são no campo da diversidade, depressão e a parte da literatura”, afirmou Felipe Neto ao E+ no último dia 6 de setembro.

O youtuber fala desde temas mais simples, como declarar sua torcida para o sírio Kaysar Dadour na final do BBB 18 ou fazer críticas à organização do Meus Prêmios Nick, passando por temas ligados à internet, como o fim dos likes no Instagram, até chegar a ações de confronto ou protesto, como a ocorrida na Bienal do Livro do Rio de Janeiro em 2019.

Na ocasião, em protesto à tentativa do prefeito do Rio de JaneiroMarcelo Crivella (PRB) de recolher livros dos Vingadores, da Marvel – o que resultou em vaias a fiscais da prefeitura no local – Felipe Neto comprou 14 mil livros com temática LGBT e mandou distribuí-los de graça, na praça central do evento.

Os 14 mil livros, comprados na própria Bienal, foram envolvidos em plástico preto acompanhados de um adesivo: “Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas.”

Jovem mostra livro distribuído pelo youtuber Felipe Neto na Bienal do Livro do Rio de Janeiro em 2019.
Adolescente mostra o livro comprado e doado por Felipe Neto. Se tratava de um revista em quadrinhos da Marvel Comics com beijos e relacionamentos homossexuaisa entre os personagens, mas, segundo a indicação de idade, era voltada ao público infanto-juvenil. Essa foi a maior lacrada que ele deu até hoje, mas tem tentado se superar desde então ofendendo eleitores, ministros e políticos ligados ao presidente Bolsonaro.

Sobre vídeos antigos em que Felipe Neto aparecia fazendo comentários críticos à comunidade LGBT, o youtuber explicou em entrevista ao Estado:  

“Eu cresci em um meio muito tradicional e reacionário. Quando comecei a gravar vídeos para a internet, era um menino de 21 anos ainda em processo de amadurecimento, o que me fez criar um personagem reclamão que falava muito palavrão e dizia alguns clichês idiotas e preconceituosos”.

“Dez anos se passaram e, quem me acompanhou durante esse tempo, sabe o quanto eu lutei para corrigir meus erros do passado. Espero que a minha história possa servir de inspiração para muitos jovens que também crescem cheios de preconceitos e reacionarismo dentro de si. É possível vencer”,

Felipe Neto

Outro de seus vídeos que viralizou foi o que satirizava a série Vida de Garoto, protagonizada por ‘colírios’ da revista Capricho, à época. Meses depois, o youtuber foi chamado para uma entrevista no Programa do Jô, apresentado por Jô Soares.

Felipe Neto recebe o prêmio na categoria Webstar do VMB, organizado pela MTV Brasil em setembro de 2010. 

Felipe Neto recebe o prêmio na categoria Webstar do VMB, organizado pela MTV Brasil em setembro de 2010.  Foto: Leonardo Soares / EstadãoCom o tempo, novas oportunidades foram surgindo. Em 2011, Felipe Neto ganhou um quadro no Esporte Espetacular, da Globo, o  #FF.

Felipe Neto (à direita) ao lado de Fábio Nunes no quadro '#FF', do 'Esporte Espetacular', da Globo, em maio de 2011.

Felipe Neto (à direita) ao lado de Fábio Nunes no quadro ‘#FF’, do ‘Esporte Espetacular’, da Globo, em maio de 2011. Foto: João Cotta / Globo / Divulgação

No mesmo ano, Felipe Neto se empenhou na criação do Parafernalha, canal no YouTube que produzia vídeos semelhantes ao Porta dos Fundos, nos quais também chegou a atuar, além da Paramaker, rede de network na plataforma que acabou sendo vendida a uma multinacional francesa anos depois.

Felipe Neto esteve envolvido em A Toca, primeiro programa brasileiro feito exclusivamente para o serviço de streaming Netflix em 2013.

Felipe Neto e elenco de 'A Toca', da Netflix, lançada em 2013. 

Felipe Neto e elenco de ‘A Toca’, da Netflix, lançada em 2013.  Foto: Netflix / ‘A Toca’ / Divulgação

O youtuber também chegou a fazer sucesso lançando livros, como Não Faz Sentido: Por Trás da Câmera (2013) e Felipe Neto: A Vida por Trás das Câmeras (2018).

Em 2017, por exemplo, o livro Felipe Neto – A Trajetória De um dos Maiores Youtubers do Brasil (Coquetel) foi o mais vendido do Brasil no ano.

Foi esse livro que gerou mais treta. Leia um trecho da reportagem de Léo Dias sobre o assunto.

Antonia Fontenelle pediu ao Ministério público do estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que o órgão retire de circulação o livro Felipe Neto: A trajetória de um dos maiores youtubers do Brasil por considerar que a obra tem conteúdo impróprio para o público infanto-juvenil. Os advogados da atriz e empresária alegam que na página 25 do exemplar há uma brincadeira chamada Casa, Mata ou Trepa, onde o artista sugere a escolha de uma celebridade, entre elas o ator pornô Kid Bengala, justificando a última ação da brincadeira.”

Pois bem, pra fugir da condenação ele promete retirar todas as cópias disponíveis em circulação, mas o advogado Rogério Betin foi conferir na editora e constatou que não passou de mais uma mentira do ‘youtuber’ lacrador.

Felipe Neto é o mais perigoso do país porque ele tem muita influência nas redes sociais, ódio de quem pensa diferente do que ele acha “correto” e dinheiro, muito dinheiro, e vontade revolucionária: quer mudar a sociedade nos moldes progressistas. Começou isso como um oportunista e hoje está envolvido até o pescoço na “luta revolucionária por um mundo melhor e mais humano”.

Você ainda vai deixar teus filhos assistirem e seguirem esse cara?

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!