fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Controle de pragas nos vinhedos faz mal a saúde? Entenda de uma vez todos os métodos.

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Esse post é parte do e-book De Leigo A Especialista 2ª EDIÇÃO – ALSÁCIA, que está quase pronto.

O CONTROLE DE PRAGAS

A Alsácia utiliza os mesmos métodos de controle de pragas da vizinha Borgonha, um controle menos químico e mais biotecnológico COPIADO PELO RESTO DO MUNDO. Vou explicar em detalhes agora.


O objetivo do controle de pragas é reduzir os danos causados por doenças a um limiar que não prejudique economicamente a produção da vinha. Ele pode ser feito de duas formas, a direta (com defensivos) e a indireta (usando as regras da natureza). Uma não anula a outra, pelo contrário, se completam.
Apenas vinhedos biodinâmicos e orgânicos não utilizam a forma direta.

MÉTODO DIRETO
MÉTODO QUÍMICO: utilização de defensivos agrícolas e de sulfato de cobre.

Na Alsácia o uso compostos químicos modernos é evitado ao máximo e o terroir frio e seco ajuda os viticultores a evitá-lo, mas há safras em que ele é imprescindível.
Consiste no uso de inseticidas, fungicidas e herbicidas contra pragas ou doenças patógenas que ameaçam o patamar de produtividade mínima do vinhedo. Cada praga ou doença tem um patamar mínimo e máximo regulado pelo INAO. Fungos patogênicos são um problema comum nas safras da região, mas raramente alcançam o patamar que exija a intervenção química. Pragas não são raras, mas não chegam a prejudicar os vinhedos a ponto de exigir esse tipo de intervenção, salvo raras exceções.

MÉTODOS INDIRETOS
. MÉTODOS FÍSICOS E MECÂNICOS
. MÉTODOS DE VITICULTURA
. MÉTODOS BIOLÓGICOS
. MÉTODOS BIOTECNOLÓGICOS

MÉTODOS FÍSICOS E MECÂNICOS
Consiste no uso de redes de proteção

MÉTODO DE VITICULTURA
O objetivo desse método é aumentar a resistência natural da vinha e ao mesmo tempo manipular o microclima ao ponto de as pragas não conseguirem encontrar um ambiente ideal para se plroliferarem. Consiste em:

  • escolha da casta ideal. Já que a prga chegou primeiro que o vinhedo, é o vitivultou quem tem que que escolher o tipo de vinha menos sensível;
  • poda personalizada nas folhagens. Cada praga ataca as folhas em partes e de formas diferentes. O viticultor diminuindo o volume de folhagem na época em que a praga se reproduz (antecipando ou retardando a poda dentro do limite de tempo de poda), elimina as chances de ploriferação;
  • uso apropriado de ferilizantes quando extremamente necessário.

MÉTODOS BIOLÓGICOS
Consiste em:

  • controlar pragas utilizando outras pragas não prejudiciais à videira, que se alimentam das pragas prejudiciais ou as repelem;
  • uso de químicos que não prejudiquem os insetos benéficos à videira.

MÉTODOS BIOTECNOLÓGICOS
Uso das reações naturais dos parasitas aos seus estímulos naturais (instinto). Consiste em:

  • uso de discos coloridos (vermelhos, amarelos ou brancos) como espantalhos. Isso é muito usado na floricultura;
  • uso de feromônios da traça da uva. Quando a traça da uva (parasita) chega a fase de reprodução ela adquire asas e isso é fator determinante para sua proliferação, pois pode atingir grandes terrenos. Usa-se armadilhas com feromônios femininos para atrair e capturar os machos. Sem machos, sem reprodução. Quantidade utilizada: 500 armadilhas por hectare. OS parasitas amigos não são prejudicados: joaninhas, percevejos, etc..
Armadilha com feromônios (1).
Armadilha de feromônio (2)

Vinhedos Orgânicos e Biodinâmicos.

“Vinhos orgânicos são antiquíssimos no Brasil, vinhedos sem defensivos.
Vinhos naturais: coisa de militantes. Todo vinho é natural. Exitem sim orgânicos e biodinâmicos.”

Adolfo Lona – um dos maiores produtores de vinhos espumantes da América Latina em live no Instagram.
https://www.adolfolona.com.br/

Os vinhedos que produzem vinhos orgânicos e biodinâmicos utilizam os métodos biológicos e biotecnológicos SOMENTE.

carregando vinho
Compartilhe e me siga nas redes sociais. Saúde!

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!