fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Filho de Edmundo podia ser o que quisesse, mas virou artista. Hoje passa fome e culpa o pai.

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Alexandre Mortágua, filho do ex-jogador Edmundo com a modelo Cristina Mortágua, publicou em seu perfil no Instagram que está vendendo geleias feitas com açúcar orgânico pela internet para pagar as contas durante o período da pandemia. O jovem de 25 anos é cineasta independente e não fala com o pai há nove anos.

“Tempos difíceis para uma #gayfreela como eu. Eu amo cozinhar e os últimos meses foram bem ruins de trabalho (tipo quase nada). Ficar sem pagar as contas ainda não pode. Eu e minha parceira de vida resolvemos produzir algumas coisas gostosas que cozinhamos em casa no dia a dia.”

Alexandre Mortágua

https://www.instagram.com/p/CCJ629dnRDQ/?utm_source=ig_embed
View this post on Instagram

dá uma vontade de carnaval né minha filha

A post shared by alexandre mortagua (@amortagua) on

No programa de TV: “sem mágoa”.

No ano passado, o cineasta falou no programa Luciana By Night, da apresentadora Luciana Gimenez, sobre a falta da presença paterna. “Última vez que encontrei meu pai eu tinha 16 anos e foi pela decisão de um juiz”, lembrou.

Nas redes sociais: a culpa é do meu pai macho escroto machista.

Em “Todos Nós 5 Milhões”, Alexandre usa o dado que no Brasil 5 milhões de crianças não têm o nome do pai no registro. A ideia foi motivada pela sua própria história, mas ele tentou ir além: discutir por que está implícito na masculinidade que homens não podem expressar afeto. E como isso acaba naturalizando a ausência deles na criação dos filhos. “Acho que meu papel é discutir e matar a masculinidade que cria esse espectro de ser carrancudo e não demonstrar emoções”, ele diz. Irônico vindo do filho do Animal? “Não, é superjustificável. É uma resposta. Não minha para ele, pois não tenho nada para dizer para ele. É uma resposta a essa masculinidade”, diz Alexandre, que fala abertamente sobre sua homossexualidade.

Fonte: UOL

Se você nunca ouviu falar desse filme, não se preocupe, NINGUÉM NUNCA OUVIU FALAR. Ninguém normal, digo. Normal é a pessoa que não vive o sonho comunista e não vive querendo lacrar.


A culpa é do pai?

O pai realmente o abandonou e o deixou crescer às mínguas ou tudo pelo o que Alexandre está passando é fruto de suas escolhas?

Edmundo não pagou a pensão alimentícia?
Resposta: Sim. Pagou, e muito bem.

“O Alexandre não me responde quando mando feliz natal, quando mando feliz dia das crianças, quando mando feliz aniversário. Mas acho importante saber que eu paguei por 24 anos uma pensão no valor de 30 salários mínimos ou seja R$ 31.350 reais por mês com décimos terceiro salário.”

Edmundo anos.

Fazendo as contas, deu quasse R$ 10 milhões dos 0 aos 18 anos.

Veja tudo na reportagem da TV Famosos.

A verdade que a imprensa não faz esse cara encarar: ele poderia ser qualquer coisa, mas decidiu ouvir os amiguinhos e virar artista.

Veja o exemplo de outros jogadores de futebol.

Modelo da grife Givenchy, Lea T que nasceu Leandro , é filha de Toninho Cerezo, e ganha de R$ 4 mil a R$ 10 mil por desfile.

Lea T é um exemplo de que a homossexualidade não limita ninguém. A gana e a luta pelo mérito sim.

Mas ele podia ser jogador de futebol?
R$ 31 mil dá pra pagar uma escolinha?

Veja a lista de 6 filhos de jogadores que viraram jogadores de sucesso.

Aqui a lista de 18 jogadores de pais que eram craques.

Ronald, filho de Ronaldo Fenômeno. O garoto, aos 13 anos, decidiu que vai se arriscar no mundo das lutas, treinando MMA. Ronald também se dedicou à música eletrônica. Hoje é DJ.

A verdade que precisa ser dita: QUEM LACRA NÃO LUCRA e que a família estruturada teria livrado ele dessa vida medíocre.

Mas não. Sua família é o modelo que a esquerda entende como “modelo”: mãe solteira, filho homossexual.

A mãe é uma famosa ex prostituta se luxo, drogada, que apesar de criar seu filho aos seus moldes progressistas NÃO O ACEITAVA muito bem por ele ter vários problemas sociais. O moleque nunca se encaixou em nada, sempre deu mais ouvidos aos amigos lacradores que a própria mãe. Nunca parou em emprego algum e só queria zoar na noite, curtir a vida e USAR DROGAS.. Um típico playboy da Barra da Tijuca de esquerda (a maioria é assim).

RECOMENDO:

“Isso me ofende.”
https://iree.org.br/o-principal-argumento-da-esquerda-pos-moderna/

A mentalidade da esquerda e seus prejuizos.
https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1662

Vitimismo mais hipocrisia.
https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/esquerdismo-vitimismo-hipocrisia/

É fácil entender por que os jovens dos países mais ricos tendem a defender mais socialismo.
https://www.mises.org.br/article/3149/e-facil-entender-por-que-os-jovens-dos-paises-mais-ricos-tendem-a-defender-mais-socialismo

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!