fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Maceração Carbônica: o que é? Pra que serve?

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Foto: gás carbônico sobre as uvas dentro da cuba de aço que será hermeticamente fechada até o final da maceração. Autor desconhecido.

O que é?

É a fermentação intracelular, sem fermentação, ou seja, ocorre dentro da uva e não são usadas leveduras industriais, e as selvagens (na casca) não conseguem atuar. A transformação de açúcar em álcool ocorre lentamente dentro dos bagos inteiros dentro da cuba de aço protegidos do oxigênio pelo gás carbônico (CO2) que, ao contrário do que te ensinaram, não pressiona e esmaga os bagos para que estes arrebentem, sua função é única e exclusivamente proteger as uvas da oxidação causadas pelas bactérias acéticas (acetobacter), as mesmas que transformam o vinho em vinagre.

Quais as diferenças entre os vinhos de fermentação carbônica e os fermentados com esmagamento?

1- MENOS AGRESSIVO.
A fermentação carbônica gera vinhos mais macios (já que nem todo o açúcar é fermentado), porém secos, e também vinhos menos acídulos, já que o ácido málico (o mais percebido pelas mucosas da boca) também tem suas cadeias quebradas, ele não deixa de ser existir, apenas fica “mais comportado”, e a sensação de  acidez do vinho é garantida pela presença dos outros ácidos (tartárico, cítrico, etc., além do próprio málico, mais ameno, porém presente)

2- MAIS BRILHANTE E MENOS TâNICOS.
Em 1872,  Louis Pasteur (sempre ele) observou que uvas mantidas em contato com o ar tinham o sabor diferente das uvas protegidas por gás carbônico eram mais doces, mais “frutadas” e mais fáceis de comer (menos ácidas), mais tarde as pesquisas de Michel Hanzi (meados de 1930), constataram que uvas intactas mantidas em ambiente saturado de CO2, resultavam em vinhos mais brilhantes (apesar da menor sensação de acidez os ácidos continuam lá), menos tânicos (já que a extração dos taninos das cascas só ocorrem no momento da prensagem) e com aromas distintos dos elaborados com uvas expostas ao oxigênio.

Mais longevos?

Já ouvi profissionais do ramo, enófilos e até enólogos afirmando que os vinhos de maceração carbônica têm mais longevidade, mas na verdade isto não passa de um palpite, visto que ainda não se tem nenhum estudo comprovando tal fato. Contra eles há o fato de os vinhos mais famosos elaborados com esta técnica, os Beaujolais-Noveau, são elaborados para serem consumidos ainda no primeiro ano pós envasados.

Beaujolais.

As regiões de Beaujolais e de Beaujolais-Villages,  no sul da Borgonha, são famosas por seus vinhos leves, frutados e macios elaborados com a uva Gammay (diz-se gamé). São as mais antigas do mundo nesta técnica de vinificação que está sendo imitada no resto do mundo. No Brasil já é possível adquirir bons exemplares de vinhos nacionais, argentinos e chilenos, mas infelizmente o preço ainda é bem maior que os de fermentação tradicional. O Miolo Gammay é minha sugestão de custo vs. qualidade (não estou ganhando nada pra isso) de um bom vinho elaborado pelo estilo de Beaujolais, inclusive a Miolo contratou um famoso enólogo da região francesa para que este viesse ao Brasil ensinar os enólogos da vinícola a elaborar o vinho. Já experimentei e afirmo que o vinho é bom e barato. Com seus aromas mais nítidos de morango, cereja e surpreendentemente de banana. 

Espero ter ajudado.Dúvidas e sugestões nos comentários ou em minha página no Facebook.
#maceracaocarbonica #maceraçãoCarbônica #vinhotinto #uvagammay #vinhobeujolais #bloguvaecevada

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!