fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Este post é pra complementar o de ontem sobre o Guia Michelin, nele constam os que ficaram no Top 10 do mundo por mais tempo nessa última década nas duas principais publicações: Guia Michelin e The World 50 Best Restaurants.

Os 10 melhores restaurantes do Mundo nessa década.

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Este post é pra complementar o de ontem sobre o Guia Michelin, nele constam os que ficaram no Top 10 do mundo por mais tempo nessa última década nas duas principais publicações: Guia Michelin e The World 50 Best Restaurants.

As informações aqui contidas foram pesquisadas e postadas pelo blog do André Bona. Vai lá., veja o conteúdo completo e comenta ‘Vim pelo uvaecevada.com.br’.

Quais são os 10 melhores da década?

Agora que você entendeu como funciona a classificação, vamos conhecer alguns dos restaurantes mais prestigiados do mundo. Confira!

1. Noma

O Noma fica na Dinamarca e possui 2 estrelas Michelin. Idealizado pelo chef René Redzepi, a instalação está localizada no térreo de um armazém de mais de 200 anos. Em 2010, o local recebeu o prêmio de melhor restaurante do mundo pela revista inglesa Restaurant.

A publicação é uma significativa referência no mundo gastronômico, principalmente porque é a responsável por desenvolver o ranking S.Pellegrino World’s 50 Best Restaurant.

Com apenas 12 mesas e com espaço para 40 pessoas, o restaurante oferece diversos pratos nórdicos com um toque moderno. A ideia de Redzepi é valorizar os ingredientes da região e, por isso, a única exceção de pratos não nórdicos são o café e o chocolate.

As receitas do local, portanto, estão recheadas de algas, vieras, ostras, camarões e outros ingredientes típicos.

Infelizmente fechou as portas em 2017. E foi substituído no ranking pelo francês Mirazur.

2. Eleven Madison Park

www.elevenmadisonpark.com

Localizado em Nova York, na região de Flatiron District em Manhattan, o Eleven Madison Park é um dos restaurantes americanos mais prestigiados do mundo. A casa possui 3 estrelas no ranking Michelin e seu dono é chef suíço Daniel Humm.

Apesar de ser suíço, Humm traz em seu restaurante pratos típicos da culinária americana contemporânea com um toque europeu. A receita mais pedida é o pato assado com molho de mel e lavanda.

Além dessa opção, no menu degustação são encontrados: Sea Urchin (uma neve de melão defumado e molusco), foie gras brûléestriped bass (filé de peixe com crosta de abobrinha), entre outros.

Nesse ano o local foi considerado pelo ranking S.Pellegrino World’s 50 Best Restaurant o melhor restaurante do mundo. Outro chef que comanda a cozinha é Dmitri Magi.

El Celler de Can Roca 


cellercanroca.com

Na pequena cidade de Girona, na Catalunha, fica um dos mais ilustres restaurantes da Espanha. El Celler de Can Roca está há 27 anos oferecendo ótimos pratos, como; azeitonas caramelizadas recheadas de anchova, sanduíche de pele crocante de porco ibérico e melão, linguado, entre outras iguarias.

São os irmãos Joan Roca, Josep Roca e Jordi Roca, que dividem a administração do lugar trabalhando como chef, sommelier e pâtissier respectivamente. O estabelecimento possui 3 estrelas Michelin e, em 2016, foi considerado o melhor restaurante do mundo.

“O vinho é uma coisa muito especial, que tem muito trabalho por trás de sua elaboração, por isso temos que dedicar muito respeito quando buscamos uma harmonização. Normalmente, o sommelier prova um prato e sai buscando e provando qual vinho vai combinar. Em nossa casa, muitas vezes, construímos um prato especial para acompanhar um grande vinho. Aí é que entra a tecnologia, com os equipamentos e técnicas que temos em nossa cozinha podemos chegar aos matizes do vinho que escolhemos”

Joan Roca

4. Beige

Instalado em um lugar pouco comum, o restaurante Beige fica no topo de um prédio, no bairro de Ginza, em Tóquio. No seu comando está o famoso chef francês Alain Ducasse. O estabelecimento foi o melhor restaurante do mundo em 2013.

Os pratos oferecidos têm um toque peculiar. As receitas que o chef Ducasse prepara são francesas, mas os ingredientes são japoneses. Lá você encontra pratos como: cogumelo matsutake, cordeiro e muitos outros. Os clientes ainda podem combinar as opções do menu e criarem suas próprias receitas.

5. Gordon Ramsay

https://www.gordonramsay.com/

Provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre o chef Gordon Ramsay. Afinal, além de excelente cozinheiro, ele é dono de um restaurante e possui alguns reality shows famosos, como Ramsay’s Kitchen NightmaresHell’s Kitchen e Hotel Hell.

O seu estabelecimento está localizado no bairro de Chelsea, em Londres, e mantém 3 estrelas Michelin desde 2001. No menu, encontram-se opções como: o creme trufado na casca de ovo, peixe defumado, carne de veado, e outras especiarias.

6. Restaurant Crissier

Com 40 anos de atividade, Restaurant Crissier mantém 3 estrelas Michelin há 20 anos e está localizado na Suíça, no Hôtel de Ville. Em 2013 seu chef Benoît Violier recebeu o título de chef do ano no país.

Algumas das receitas oferecidas são: peis Saint-Gilles-Croix de Vie branco cozido com erva-cidreira, cogumelos de verão assados e suflê de frutas vermelhas. O local possui 50 lugares e menus que podem custar até R$ 1.530.

7. Sublimotion

Entre as incríveis praias de Ibiza, você pode encontrar um dos restaurantes mais caros de mundo, porém também considerado um dos melhores. Ele está localizado no Hard Rock Hotel e possui 2 estrelas Michelin.

Comandado pelo chef espanhol Paco Roncero, um dos grandes diferenciais do local está na sua exclusividade e estrutura. Apenas 12 pessoas por vez podem apreciar o cardápio, que inclui 20 receitas com a proposta de oferecer uma experiência única.

Além da comida, há bastante tecnologia envolvida no projeto. Inclusive, a umidade do local foi projetada para influenciar o sabor dos pratos.

8. Central

Considerado um dos melhores restaurantes latinos, o Central, localizado em Lima, no Peru, é administrado pelo casal de chefs Virgilio Martine e Pia Leon. A especialidade da casa é comida peruana com ingredientes naturais da região. O local está na 4ª posição entre os 50 melhores restaurantes do mundo. Um dos diferenciais é que ele possui sua própria horta e purifica e engarrafa a água oferecida.

Entre os pratos disponibilizados estão ervas nativas, polvo grelhado sobre cama de lentilhas e assado de tira servido com purê de pallares. Curiosamente o restaurante, fundado em 2009, muda o seu cardápio 6 vezes por ano. Há uma filial em Londres, chamada Lima.

9. Nobu

Idealizado pelo chef Nobu, o restaurante tem algumas características particulares. Natural do Japão, ele morou 3 anos no Peru e, ao retornar à sua pátria, ele criou uma fusão da gastronomia dos dois países.

Assim surgiu uma forma de cozinhar conhecida como Nobu style. Em 1987, o chef foi para os EUA e abriu seu primeiro restaurante, o Matsuhisa, em Los Angeles. O local teve muito sucesso e foi bastante frequentado por celebridades. Inclusive, o ator Robert De Niro virou sócio do empreendimento.

Hoje em dia, o estabelecimento figura entre um dos 10 melhores restaurantes do mundo de acordo como o jornal New York Times e chef está entre os 10 melhores do planeta, de acordo Food & Wine Magazine.

10. D.O.M

http://www.domrestaurante.com.br/

O único restaurante brasileiro a ter 2 estrelas Michelin, D.O.M é uma criação do chef Alex Atala. Em 2016 chegou a figurar a 4ª posição entre os 50 melhores restaurantes da América Latina.

Os pratos oferecidos reúnem o melhor da culinária brasileira, inclusive o famoso “Prato Feito”. Os ingredientes utilizados pelo chef também são um diferencial: a maioria é brasileira como açaí, jambu e tucupi. Esse ano, o D.O.M está na 16º posição do ranking dos melhores restaurantes mundo. O estabelecimento fica no bairro de Jardins, SP.

“Tradição alimentar em algumas etnias indígenas da região amazônica, especialmente entre os baniwas, a utilização de formigas como ingrediente tem sido profundamente estudada pelo chef Alex Atala e vem surpreendendo chefs e críticos gastronômicos de vários países.”

D.o.m Restaurante

Gostou?

Comente. Compartilhe.

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!