fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Ranking dos concursos mundiais de cervejas: por nível de importância e relevância.

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Concurso de vinhos e cervejas existem aos montes e isso confunde o cidadão comum, isso me motivou a escrever um livro digital explicando a importância, métodos e critérios dos avaliadores (e publicações) de vinhos. Pra baixar clique aqui.
Vou fazer o mesmo com as cervejas, mas por enquanto deguste a lista elaborada cuidadosamente por Fernanda Meybom, engenheira química, sommelière e Mestre em Estilos e Avaliação de cervejas, colunista de um dos melhores sites sobre cervejas do país, o REVISTA DA CERVEJA.

O ranking:

  • O Great American Beer Festival – GABF, se manteve na primeira colocação mas observamos um crescimento do World Beer Cup – WBC, que é uma competição realizada a cada dois anos, sendo que sua última edição em 2018, o número de inscrições se aproximou bastante do GABF. No ranking de
    2017 a diferença chegava em mais de 1000 inscrições (dados de 2016). Quem sabe daqui a dois anos o WBC supere o GABF e se torne o maior concurso de cervejas do mundo. Vamos acompanhar.
  • O European Beers Stars – EBS, que acontece na Alemanha, apontou um crescimento pequeno e acabou caindo duas posições no ranking, ficando atualmente na quinta posição. De 2151 inscrições em 2017 (terceira posição) para 2344 em 2018.
  •  O World Beer Awards – WBA, concurso com sede na Inglaterra, possui etapas nacionais em diversos países e a final internacional no seu país de origem. Talvez pela facilidade das etapas locais, a competição registrou um crescimento considerável de 500 inscrições a mais que sua edição anterior, subindo 2 posições no ranking, e ficando atualmente em quarto lugar
  • O Brussels Beer Challenge – BBC, renomado concurso que é realizado todos os anos na Bélgica, também apresentou um leve crescimento em relação a 2017, de 1450 inscrições para 1522 no último ano, caindo da sétima para nona posição do ranking. De fato, os concursos europeus, com exceção do WBA que tem etapas nacionais e do Birra dell’Anno que só inscreve cervejas italianas, o EBS e BBC foram os que apresentaram menor crescimento, verdade também que estes são concursos com inscrições mais caras para as cervejarias brasileiras.
  •  Birra dell`Anno é uma competição só de cervejas italianas que assim como o Brasil, vem apresentando um importante crescimento, de 1368 em 2107 para 1650 inscrições em 2018, mostrando que definitivamente, a Itália não é apenas o país do vinho, mas da cerveja artesanal também, o que já me deixa com vontade de fazer um roteiro cervejeiro pelo país!
  • O Australian International Beer Awards – AIBA, também apresentou pouco crescimento comparado com 2017, de 2000 cervejas inscritas para 2178 em 2018, caindo da quinta para sexta posição.
  • Finalmente, passando para a América Latina, nota-se uma proliferação de concursos em diversos países e aqui ficou a mudança mais significativa do ranking. O impacto foi com a saída do South Beer Cup e a entrada da Copa Cerveja POA no ranking.

O South Beer Cup é um concurso itinerante que se reveza entre o Brasil e a Argentina. O concurso, um dos mais tradicionais da América do Sul, teve uma diminuição no número de inscrições mesmo sendo realizado no Brasil no ano passado (o Brasil normalmente é país que mais inscreve cervejas no concurso).

Por outro lado, a Copa Cerveja POA que esta apenas em sua segunda edição, teve um salto de 695 inscrições em 2017, para 1260 em 2018, o concurso quase dobrou de um ano para outro! Além disso, o Concurso Brasileiro de Cervejas subiu da quarta posição em 2017 para terceira posição em 2018, se tornando o maior da América Latina.

E por fim, a Copa de Cervezas da America também registrou crescimento pelo seu número de inscrições, subindo da 9º posição em 2017 para a 7º posição em 2018.

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!