fbpx

Mais uma postagem politicamente incorreta pra pra você.

Vinhos: 10 piores erros. Não os cometa mais.

Conteúdo protegido. Quer uma cópia? Comente, compartilhe e me chame no WhatsApp.

O que você imaginar, personalizamos pra você.

Surpreenda no presente de casamento, bodas, aniversários. Clique na imagem e saiba mais no site do fabricante.

Por: Manual do Homem Moderno.
Estas lições listadas abaixo te ajudarão a não passar vergonha quando tive uma taça do vinho na mão e ainda proporcionarão uma melhor experiência com o fermentado de uva. Confira!

1# COLOCAR VINHO ATÉ A BORDA Vinho não é igual a cerveja. E não é porque cabe uma quantidade generosa em sua taça que você precisa enchê-la até a boca. Em um ambiente de apreciação do fermentado, é muito feio preencher todo o copo. Para degustar corretamente o vinho, você precisa girar o copo, permitindo que o líquido libere aromas. Além de dificultar a degustação da bebida, você vai derramar o vinho com mais facilidade e ainda passará uma má impressão na frente de outras pessoas. Não vá com pressa, aprenda a apreciar.

2# SEGURANDO SEU COPO DE VINHO PELO BOJO Se existe uma haste no copo de vinho, é por uma boa razão. A não ser que você queira consumir a bebida quente, a forma correta de segurar o recipiente é pela haste e não pelo bojo. Com isso, você não transmite o seu calor para a bebida e não altera rapidamente a temperatura do vinho. Em uma sala cheia de bebedores de vinho, você sempre pode dizer quem são os bebedores de vinho pela maneira como eles seguram o seu copo.

3# COMPRAR VINHO SÓ POR CAUSA DO RÓTULO ‘Não julgue um livro pela capa’. Esta é uma regra simples, mas que você pode levar para muitas coisas, inclusive para o vinho. Não compre vinho por causa de um rótulo bonito. De nada adianta uma etiqueta moderna e atraente se o líquido de dentro não for realmente bom.

4# SE APEGAR A UM RÓTULO SÓ Assim como acontece com cerveja, você não deve comprar o mesmo rótulo de vinho. Existem uma infinidade de uvas, tipos de envelhecimentos e regiões para experimentar. Se você gosta de um tinto, não tenha medo de experimentar um vinho branco ou rose. No quesito tinto, saia do malbec e prove um pinot noir, cabernet e outros tipos de uva. Você vai se surpreender. O que proporciona o divertimento na escolha de vinhos são suas infinitas possibilidades. Você pode sempre encontrar algo novo e interessante para saborear, explorar e desfrutar. Não fique preso em um só rótulo pelo resto da vida ou pensando que ele é o único que vai te agradar.

5# COMPRAR VINHO PELO PREÇO OU PELA PONTUAÇÃO Uma das coisas que impedem a popularização do vinho por estas bandas é por ter um público que ainda acha que o preço pode traduzir em qualidade. Ledo engano. Se você compra rótulos só pela pontuação que ela recebeu ou pelo preço de prateleira, nunca vai saber qual é a garrafa e o tipo de uva que realmente te agrada. Ao invés de usar os filtros preços e pontuação, lembre-se das suas experiências com a bebida e peça ajuda a um especialista. Com certeza ele fará a ponte e te indicará rótulos condizentes com seu paladar.

6# SE APEGAR AS REGRAS DE HARMONIZAÇÃO COM COMIDA Existem algumas regras tradicionais para a harmonização do vinho com comida, como, por exemplo, a combinação de vinho tinto com carne vermelha e vinho branco com frutos do mar. Essas são as diretrizes básicas, mas não precisam ser regras absolutas para viver. Existem uma variante de uvas e cada uma vai proporcionar uma sensação diferente Vá descobrindo os sabores que te agradam e faça você mesmo suas experimentações. Quem diz o que vai te agradar é o seu paladar e não um sommelier que não teve a mesma experiência gastronômica que você. O importante é você apreciar o que gostar.

7# BEBER MUITO RÁPIDO Este erro não se resume a bebida, mas a comida como um todo. Uma forma de você aprender sobre aquilo que está consumindo – O que te agrada e não agrada? Quais as sensações que aquilo passa a você? – é você aprender a apreciar de uma maneira mais lenta. Se você simplesmente empurrar o líquido do copo goela a baixo, não vai saber se o rótulo te agradou ou não. Além disso, vai ajudar a construir um conhecimento sobre a bebida, levando até a se tornar um entendedor. Por isso, para aprender e apreciar melhor o vinho, diminua a velocidade de consumo!

8# NÃO CONHECER O TESTE DO VINHO Muita gente pensa que aquela apreciação prévia que o garçom ou sommelier oferece para o cliente serve para a pessoa dizer que quer beber a garrafa ou trocá-la por outra. O ‘preview’ serve somente para a pessoa ver se o vinho está adequado e em perfeitas condições de consumo (falha no rótulo, problemas com rolha ou defeito na fabricação, como oxidação). Com o cheiro, você já pode decifrar alguns desses problemas, como quando o vinho estraga e fica com gosto de vinagre.

9# ASSUMIR QUE GOSTA DE VINHO SUAVE E DETESTA O SECO Vinho suave é um termo usado no mercado brasileiro para definir vinhos de mesa produzido a partir de uvas americanas e que possuem adição de açúcar (lembra do Chapinha?). Assim, suave não é um adjetivo válido para definir um estilo de vinho. Vinhos secos são vinhos finos (feitos a partir de uvas europeias) e que não possuem açúcar. Quando você assume que não gosta de vinho fino, assume que prefere um rótulo com o açúcar mascarando os sabores da uva (ou tornando-as com menos tanino). A melhor coisa é falar que não gosta de vinhos encorpados, com taninos (a sensação de amarrar na boca) e muito amadeirado. Se você gosta de vinhos mais leves (mas não quer perder a qualidade), experimente os feitos com uvas Pinot Noir, Merlot ou um Tempranillo.

10# ACHAR QUE VINHO BRASILEIRO NÃO PRESTA A síndrome de vira-latas faz com que muitas pessoas achem que só o que é de fora tem qualidade é presta. Existem muitas vinícolas brasileiras fazendo rótulos premiados não só aqui como em competições lá fora. Casa Valduga, Miolo, Salton e Aurora são só alguns exemplos de vinícolas que produzem vinhos consagrados. Basta gastar um tempo com pesquisa e pedir indicações. Além de boas experiências, você economiza uma boa grana e ainda ajuda o mercado nacional.



Anúncios:

2 e-books onde conto todos os segredos de quem vende:

  • qual é a margem de lucro de cada tipo de estabelecimento;
  • como identificar vinhos defeituosos no restaurante e no supermercado;
  • como identificar vinhos mau armazenados avaliando garrafa, rótulo, cápsula e líquido;
  • aprenda a identificar: sommelier x atendente de vinhos;
  • aprenda sobre as principais regiões: localização no globo, seus preços médios e terroirs ideais pro tipo de uva que você procura;
  • aprenda todos as funções do VIVINO;
  • entenda como o VIVINO pontua e precifica os vinhos;
  • saiba o que o sommelier/atendente vai te perguntar, o porquê e o que responder;
  • fichas técnicas de mais de 50 vinhos tintos, brancos e espumantes que eu recomendo: custo x benefício.

    Isso tudo e algo mais.

    De R$129,90 a vista.
    Preço PROMOCIONAL DE QUARENTENA: R$ 49,09 parcelado em 5x de R$9,82 SEM JUROS .

7 dias para devolução sem custos, sem discussão.

5 e-books, 400 págs.

Saiba tudo sobre Vinhos

Quer falar sobre vinhos como um especialista?

De R$ 49,90 por R$ 4,90

Cupom expira em 01/02/2020:

Dias
Horas
Minutos
Segundos
A promoção acabou. Aguarde a próxima.
Shape
Shape

Gostou dessa postagem?

Explore as anteriores.

Não esqueça de deixar sua crítica, sugestão ou dúvida nos comentários. AJUDE O BLOG TORNANDO-SE MEMBRO OU CLICANDO EM UM ANÚNCIO.

12 respostas

    1. É sim. É tendência mundial entre o pessoal que quer melhorar o mundo derrubando o que já está pronto pra construir outro no lugar. Se você achou nojento, você é normal como eu. Como a maioria.

  1. Sem álcool em gel já estaríamos todos mortos, mas parece que algumas pessoas não entendem como é importante ouvir os especialistas.

  2. Para o brandy ser considerado Cognac, necess rio que as uvas tenham sido cultivadas, fermentadas e destiladas na Fran a, mais especificamente na regi o de Charente, ao norte de Bordeaux. l que est localizada a cidade de Cognac, que deu nome bebida.

    1. Não. Errado.
      O Conhaque originou-se na região de Cognac, próxima a costa leste, quando marinheiros franceses, precisando de espaço nos porões dos navios, resolveram destilar o vinho popular produzido ali. Do acondicionamento dessa bebida destilada em barricas de carvalho, surgiu a cor dourada, hoje típica do conhaque. A região não fica em Bordeaux, fica longe, bem ao norte do outro lado do Garona (Garonne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Quer uma cópia do artigo? Me peça via WhatsApp. É grátis!